vagina cortada

sobre  ‘ponto do marido’: (…) “há três problemas com o corte: não há evidências científicas de que ele seja necessário, ele não pode ser feito sem autorização das mulheres e a costura em hipótese alguma deveria se estender além do necessário, muito menos com objetivo de apertar vaginas e satisfazer homens”.

leiam matéria-alerta-denúncia que ilustrei para The Intercept Brasil sobre a prática da episiotomia no Brasil. jornalismo que respeito.

Deixe uma resposta