the bomb

olha.

eu fico observando todo o rebosteio que está rolando.

tenho pouco a dizer, de verdade.

o que não para de se repetir em frente aos meus olhos, todo dia, dia todo é a imagem do Steve Wonder, do Bob Marley e do Drummond entoando amar se aprende amando. é como um mantra baixinho, perene – inocente demais? – cheio de imagens e de som, muitas canções, batidas de positive vibration, lovers keep on lovin’. one love, ma friend.

eles disseram e dizem por mim. sempre dirão.

e hoje, no caminho, The Smiths me resumiu afiado a ordem do dia:

“Because if it’s not Love

Then it’s the Bomb, the Bomb, the Bomb, the Bomb, the Bomb, the Bomb, the Bomb

That will bring us together

Nature is a language – can’t you read?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *