eu_euforia

escolher palavras para contar o significado da música para um ser pode tomar uma vida. talvez muitas vidas. já pesquisou sobre esse assunto? dizem que a música é uma janela de conhecimento plena, abrindo a maior quantidade de possibilidades. outros dizem não saber onde a música acontece no cérebro, e tenho pra mim que nunca descobrirão, simplesmente  por que ela não acontece lá. é de uma natureza diferente, não-física, não explicável.

este ano eu comecei a cantar. não chego nem perto de achar uma descrição. sou incapaz de expressar a sensação que causa. penso só que me deixa mais poderosa, mais viva, mais conhecedora das outras sensações que sinto. muito, infinitamente melhor que usar qualquer droga. e tem ainda a questão original: minha mãe. uma mulher que possui a voz que é um hino e que me habita desde que existe memória em mim. cantar é, de alguma forma, continuá-la.

o registro abaixo foi feito pelo João no flash mob que participei no começo deste mês (ah, dezembro!) com outras centenas de integrantes do Coral USP, o qual faço parte.

pensa numa pessoa radiante.

imagens_ jpuerro

gilete na alma

e dessa vez a oficina de lambe aconteceu no Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes, com participantes do programa Jovens Urbanos. além de falar de expressão, arte de rua e identidade, cada jovem criou um lambe-lambe para divulgar seu projeto final – o dessa turma intitulado gilete na alma.

vou lá para ensinar mas quem aprende sou eu – e isso, definitivamente, não é um clichê.

expressão, cidade e identidade

esta semana estive no Jardim Lapenna, em São Miguel Paulista, para uma oficina de colagem e arte de rua com os educadores do programa Jovens Urbanos. este é um programa que propõe trabalhar processos de formação ampliada com a juventude e já foi reconhecido pelo MEC como exemplo de inovação e criatividade em tecnologia educacional.
até o fim do ano vão rolar outras oficinas, desta vez com os próprios jovens. e assim seguimos fortes e lutando com as armas  que nos cabem: imaginação, cultura e diálogo.

por uma cidade que tenha a nossa cara, avante.