JR

Can art change the world? é o nome do novo livro do artista francês JR.

lançado nesta semana, apresenta um apanhado dos seus trabalhos como fotógrafo, artista de rua e ativista.

JR é mundialmente conhecido por suas colagens em grande escala – se ainda não conhece, veja seu inside out project. uma autêntica contação de histórias global.

aqui no Brasil, realizou o projeto Women are Heroes, no Morro da Providência, no Rio.

neste momento ele tambem está lançando o curta metragem Les Bosquets, uma leitura sua de conflitos ocorridos nos subúrbios de Paris em 2005, interpretado pelo ballet homônimo de NY.

atrás de seus indefectíveis óculos escuros, imagino que JR consegue ter uma bela visão do mundo.

imagem_ JR

el supremo

além de ter criado filmes estranhos e provocadores, Buñuel escreveu um livro, Meu último suspiro.

nunca, nunca me esquecerei do que aprendi com ele sobre a memória.

”a memória é permanentemente invadida pela imaginação e pelo devaneio, e como existe uma tentação de acreditar no imaginário, acabamos por transformar nossa mentira em verdade. o que aliás só tem importância relativa, já que ambas são igualmente vividas e pessoais.”

me dá um conforto.

 

imagem_ the red list

fotolivro

pensamentos e palavras são como ímãs?

ontem estava conversando com uma amiga sobre seu projeto para um livro de fotografias.

hoje, sem querer, conheço um fotolivro que, em 2014, foi escolhido pela revista Time com um dos melhores do ano.

chama-se Centro e foi fotografado, editado e produzido pelo fotógrafo paulista Felipe Russo.

muito interessante a entrevista em que ele conta sobre a etapa que acha mais importante, “a escolha e o sequenciamento das imagens”. era sobre exatamente isso que conversávamos. e sobre o título que ela vai escolher.

espero, em breve, mostrar o livro dela aqui.

e viva os ímãs.