oficina no palácio

16 de junho, é outono ainda.
a cidade está transformada: acontece o 1º festival nacional de teatro de passos. as ruas, o teatro, os espaços de arte, tudo pulsa.
nesse contexto inédito para a cidade, o muro do palácio da cultura, sede da secretaria da cultura virou palco para uma intervenção urbana.
falamos de arte, de rua, sobre a cidade, a necessidade de ocupação, a importância do diálogo, a ressonância das vozes.
aproveitamos o clima de manifestação cultural que estava embalando a cidade, nos sintonizamos, ouvimos cada nota e transformamos em cor.
cada um uma expressão. cada mente um recorte.
e o sol do outono, ainda carinhoso, parecia estar por dentro. é possível um astro reinar assim?
é, sim.

imagens_ joão puerro

colagens de maio

tudo ruindo ao redor e eu procurando imagens como se fossem torrões de açúcar.
(como se eu gostasse de açúcar.)
é que, vamos lá, preciso produzir ou entro no ralo junto com toda essa desorientação.
mas aí me sinto alienada por produzir e só.
só. uma coisa solidão.

novas colagens

papel rasgado, revistas italianas, capa de livro, geometria, uma cozinha retalhada. segue o plano de voo: um trimestre inteiro no retrovisor, meu pacto com o espaço-tempo é sério, um bumbo no peito a cada amanhecer e o guima, sim, o guima me acompanhando. que cenário, meu povo. dá-lhe balango, reforma de verdade, cai tudo, refaz.