eu brasil, ela, brasília

planalto.

os palácios, os poderes.

o plano-piloto, as praças, os panteões.

a pátria.

finalmente conheci Brasília e sua língua do p.

conheci também algumas de suas pessoas: discutimos política, discutimos comunicação, discutimos filosofia; falamos sobre o candango e cantamos Renato Russo com cabelo ao vento. meu olho não parava de buscar por Athos Bulcão. e por calçadas, quase inexistentes.

descobri que lá está a maior área tombada do mundo – 112 km2 – oficializada pela Unesco como patrimônio cultural da humanidade desde 1987.

descobri que quero voltar.

 

imagem_ ana persona

arte é cosa mentale

… Athos Bulcão cita Leonardo da Vinci para dizer que não acredita em inspiração, mas em talento e trabalho.

o artista que foi assistente de Portinari, amigo de Vinicius e colaborador de Niemeyer brincava com padrões como poucos.

morreu aos 90. produziu um sem fim de obras.

vamos amanhã para Brasilia mergulhar em suas cores?