parede na barra funda

rolou a mistureba yemanjá, festa de música brasileira que me convidou para colar. ganhei uma parede e criei uma colagem pra ela. foi uma viagem o processo todo, a cola vai te ensinando sobre o papel, o papel sobre a técnica, a técnica sobre o espaço, o espaço sobre o tempo.

o lugar chama-se 4e20 bar e a colagem vai ficar lá até… até quando yemanjá levar. axé.

feirantes reunidos

dezembro, fim de ano. respira, tem uma onda enorme se aproximando, seu nome é dezenove. vamos pra frente, juntos, resistindo e colando, colando e escrevendo, escrevendo e imaginando, imaginando e fazendo. turma reunida, clube, ideias, um espaço, todos os muros. a cidade para as pessoas. vamos de poesia e cantando. vai ter nós e vai ter voz. vem, 2019, estamos aqui, estamos fortes.

cola subversiva

a 8 dias da eleição mais importante da minha vida,  fui na Choque Cultural e realizei o terceiro encontro do club cola. pensei em desistir, adiar, usar meu tempo para ir até o masp e estar ao lado de outros que resistem e lutam.

mas fui lá para conversar sobre arte, delicadeza e comprometimento. fui lá me colocar pro mundo, reforçar meu papel, dizer que não desisto, que não irei deixar de estar ao lado da palavra, da poesia, do sentir e do fazer poético.

meu lado é o lado da alteridade. eu me vejo no outro e é por isso que o desrespeito a qualquer pessoa me assombra. até o fim dos tempos direi: democracia sim, ditadura não.

a luta continua.