O tempo passa na praça

Todos prontos? 2º semestre chegou.

Outro dia estava conversando com minhas irmãs e elas disseram que preferem os meses do final do ano. Porque daí ‘as coisas deslancham’, porque preferem a primavera e o verão… Eu sinceramente não havia pensado nisso antes. Dias e meses são o que são. Nesse clima de existir e nada mais, sugiro aqui algumas praças bacanas em São Paulo, lugares onde a vida passa (como em qualquer outro, afinal), mas que ainda existe espaço para contemplação.

Escolha um banco, acomode-se e bons pensamentos.

 

Praça do Pôr do Sol

Imagine você numa metrópole com mais de 10 milhões de habitantes e de repente te bate uma vontade de ver o pôr do sol. O que fazer – ir correndo para a cidadezinha de interior mais próxima? Olhar suas fotos bucólicas? A resposta é não. São Paulo é tão poesia concreta que te permite até ver o sol se pôr.

Na praça do Pôr do Sol é possível ver o dia ir embora num horizonte repleto de arranha-céus e também aproveitar shows ao ar livre, encontrar pessoas tocando seus instrumentos e fazendo piqueniques em família. É no alto, é bonita, é democrática.

Vai lá: Praça Cel. Custódio Fernandes Pinheiros – Rua Desembargador Ferreira França, s/n – Alto de Pinheiros. http://www.visitesaopaulo.com/tour/pca-pordosol.html

 

 

Praça da República

Localizada no centro da cidade, a praça da República tem ao seu redor avenidas importantes como Ipiranga e São Luís e é visitada diariamente por milhares de pessoas, daqui e de fora.

Serviu de local para rodeios e touradas no século XIX e foi palco nos anos 1930 de manifestações contra a ditadura Vargas.

Hoje abriga uma feira de artesanato que conta com mais de 600 barracas, várias delas oferecendo diversos tipos de comida. A arquitetura de seus limites é outro ponto alto: edifícios de Oscar Niemeyer e outros arquitetos famosos ainda reinam por lá.

E uma vez no centrão paulistano, aproveite para conhecer o Teatro Municipal e a Igreja da Sé, outros pontos imperdíveis da capital.

De metrô é um pulo – se joga! República, s/n.

 

 

Praça Dom José Gaspar

Ainda no centro, atrás da Biblioteca Municipal de SP – a Biblioteca Mario de Andrade – há uma simpática praça chamada Dom José Gaspar, batizada com nome de arcebispo uma vez que há alguns séculos o local era ocupado por um palácio da cúria paulistana antes de se tornar o atual espaço verde de conveniência.

Aos sábados, dia oficial da Feijoada, é possível apreciar a ‘marvada’ trinca samba, cachaça e feijoada no número 86 da praça, na Cachaçaria do Rancho, onde pode-se encontrar mais de 1.300 opções da bebida, de todas as regiões do país.

Meu local preferido, entretanto é o Paribar, no nº 42. Desde 2005, o (novo) Paribar retornou, exatamente no local onde funcionou o antigo Paribar, que era famoso por acolher intelectuais, poetas e boêmios nas décadas de 1950, 60 e 70. Minha sugestão: vá ao balcão e peça diretamente ao barman um drink da coquetelaria clássica da época de ouro do bar. Depois, sente-se a uma mesa do lado de fora, escolha um prato ou petisco e fique olhando o movimento da praça. Relaxe e seja feliz.

Praça Dom José Gaspar, s/n. http://www.paribar.com.br

 

 

O que foi que disse mesmo? Hein? Fala que eu te escuto! Mande um email para padocacult@gmail.com e conte-me uma história sua na capital. Algo que te marcou. Podemos conversar sobre sua história aqui. Até!
(Imagem: Apontador)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *