geminicinecromatico

Enquanto escrevo este texto, a Argentina está jogando no Mané Garrincha, em Brasília, e está ganhando. Dependendo da combinação de resultados, pode enfrentar o Brasil na final da Copa do Mundo. Mas isso depende de uma porção de coisas, como tudo, enfim. A verdade é que não temos controle sobre nada – e o que importa é manter-nos em movimento. No caminho, aproveitemos para nos divertir – e aqui vão algumas dicas para você se deliciar.

 

osgemeos – A ópera da lua – até 16 agosto 2014

A dupla osgemeos é formada pelos irmãos Otávio e Gustavo Pandolfo, nascidos em São Paulo, onde vivem e trabalham. Com um estilo de desenho imediatamente reconhecível, eles começaram a grafitar no bairro do Cambuci e de lá tomaram o mundo – grafitaram um castelo medieval na Escócia, a fachada da Tate Modern em Londres e possuem trabalhos em cidades dos EUA, Alemanha, Cuba e por aí afora.

É muito interessante ouvir os dois falarem de seu trabalho e a forma que criam, unidos por ideias e inspirações que surgem em um e terminam no outro ou vice-versa, como se fosse apenas uma mente trabalhando.

A exposição atual reúne pinturas, esculturas e uma vídeo-instalação 3D. As obras são apresentadas em um ambiente imersivo, numa natureza fantástica que mistura elementos surreais, cores, sons e padrões.

Lembro-me de visitar sua primeira individual em São Paulo, realizada em 2006 na Galeria Fortes Vilaça e ficar boquiaberta. Eu já os observava pelos muros da cidade e fiquei tão impressionada que fiz um vídeo e um livro infantil com fotos de seus desenhos.

Hoje artistas pop, eles ainda mantém uma linguagem arrebatadora que te captura para uma viagem lisérgica e transformadora. Faça um favor para você: não perca.

No Galpão Fortes Vilaça – R. James Holland , 71. Grátis.

http://www.fortesvilaca.com.br

 

Abraham Palatnik – A reinvenção da pintura – até 15 agosto 2014

Esta é a maior mostra já realizada do artista, consagrado pela criação de obras marcadas pela fusão entre o movimento, o tempo e a luz.

Nascido em Natal (RN), filho de russos, Palatnik passou a infância em Tel-Aviv, onde fez curso de especialização em motores de explosão. Aos 20 anos, voltou permanentemente para o Brasil.

Hoje, aos 86 anos, o artista é um dos pioneiros e a maior referência em arte cinética no Brasil. Um fato que demonstra sua originalidade aconteceu em 1951, quando durante a I Bienal de São Paulo, a comissão internacional não sabia como qualificar sua obra Aparelho Cinecromático Azul e Roxo. Não era uma escultura, tão pouco uma pintura. Era algo que não se enquadrava nas categorias da Bienal. A solução encontrada para garantir o reconhecimento pelo trabalho original e inovador foi lhe dar uma menção honrosa.

Vai lá: MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo. No Parque do Ibirapuera: av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Portão 3. Entrada: R$ 6, gratuita aos domingos.

http://mam.org.brhttp://www.palatnik.com.br

 

Um olhar sobre Cuba – até 10 de agosto 2014

Fotografias, cartazes, livros e vídeos compõem a exposição, que apresenta um olhar específico sobre a política e a cultura de Cuba nas últimas décadas. A coleção particular passeia por diversos aspectos de vida do país, e constitui uma soma de olhares a partir do olhar de quem viveu por lá– a curadora Rose Carvalho morou em Cuba entre 88 e 89.

No MIS – Museu da Imagem e do Som. Av Europa, 158. Grátis.

http://www.mis-sp.org.br

 

Algo na cabeça? Fale com padocacult@gmail.com
(Imagem: Cotazeroblog)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *