viver colando [palavras]

busco vários motivos para viver colando. um deles é o texto. palavras me motivam. quis brincar com palíndromos, essas palavras ou frases que podem ser lidas da direita pra esquerda ou da esquerda para a direita. estudando o palíndromo, descobri uma técnica literária chamada escrita constrangida, o que, pode acreditar, fez esquentar minhas maçãs do rosto. mas isso é assunto para outro texto.

aqui as colagens para os palíndromos luz azul e assim a aia ia à missa (atribuído a Millor, mas vai saber) – a qual eu imaginei indo rezar vestindo flores. a última colagem escorregou e entrou, embora não pertença à ideia de se manter a mesma de trás pra frente.

tem também uma intenção de figura e fundo da imagem, além da direita pra esquerda da palavra. e terra e água. e luz e sombra. e um vício insistente de observar texto e contexto. e eu preciso confessar que gosto de vícios.

 

 

comida e colagem artesanal

a Socialista Morena quer informar aos seus leitores e quase meio milhão de seguidores que, além de exercer seu bravo jornalismo anticapitalista, vai complementar a renda como cozinheira e padeira artesanal.

ela me convida para ilustrar esse anúncio.

eu faço a colagem acima.

como diz ela, “operários da palavra têm que buscar outras fontes de sustento para sobreviver”. eu, também uma trabalhadora da classe, busco nas colagens mais que sustento. busco também um outro tipo de alimento.

leia aqui o comunicado da morena na íntegra.