ai weiwei livre

imagine-se um chinês.

um chinês que sai da China nos anos 1920 para estudar Arte e Filosofia em Paris.

ao voltar, nunca mais deixa de ser perseguido pelo governo e torna-se um exilado no próprio país.

este foi o pai de Ai Weiwei.

ontem, após 600 dias, o governo chinês devolveu a Ai Weiwei o direito de viajar.

existem muitas histórias à respeito do artista, e todas me interessam.

acompanho o trabalho dele por causa da arte e porque quero saber da China. na verdade, quero saber da China por ele.

Ai fotografa tudo (faz isso há muitos anos): os amigos, as ruas, seu filho, a montagem de suas obras, flores. qualquer coisa.

flores que ele colocava diariamente, numa bicicleta, em frente ao seu studio, desde que teve seu passaporte apreendido.

agora a bicicleta pode sair de lá.

imagens_ do artista, na mostra Interlacing, que veio a SP em 2013, no MIS-SP

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *